Nossos serviços
Entre em contato

Capitais e região metropolitana:
4007.2302

Demais cidades:
0800.002.2302

Whatsapp:
(51) 989.590.959


Av. Júlio de Castilhos, 44 - Térreo
Porto Alegre - RS - CEP 90030-130 | Como chegar

COPYRIGHT © 2019. Conheça nossa Política de Privacidade.

brivia

Educação | 12 de setembro de 2017
FEI: Instituição participa de evento com multinacionais para discutir conceito de Indústria 4.0
A Instituição possui um dos laboratórios mais modernos na área de Manufatura Digital, e foi convidada para apresentar sua visão sobre o tema e projetos desenvolvidos na área.
Copiar link
FEI: Instituição participa de evento com multinacionais para discutir conceito de Indústria 4.0

 

Indústria 4.0 tem se tornado pauta constante no meio do setor produtivo, principalmente por ser uma nova tecnologia que ainda desperta dúvidas sobre seu conceito, aplicabilidade e outras questões preocupantes entre muitos especialistas, principalmente por acreditarem que o mercado produtivo não terá chance de sobreviver se não se adaptar às transformações que essa tecnologia irá causar.

Pensando nisso, a SPI – empresa especializada em automação industrial – organizou a primeira edição do workshop TIPPING POINT TALKS, com o tema Digital Factory, evento realizado no dia 22 de agosto, em São Caetano do Sul, e que contou com a participação de representantes da GM, Siemens, Quantum4 e do reitor do Centro Universitário FEI, Prof. Dr. Fábio do Prado, para compartilhar experiências e visões sobre o assunto.

Durante o workshop os especialistas convidados apresentaram dados e informações sobre o atual cenário da Indústria 4.0 no Brasil e perspectivas futuras, principalmente em relação a investimentos. Para os especialistas a falta de clareza sobre o que realmente é e significa a Indústria 4.0 impede que o setor produtivo invista na tecnologia.

Professor Fábio do Prado sentado entre especialistas

Entre as inúmeras estratégias consideradas fundamentais pelos especialistas para que o país avance nesse setor é o investimento em pesquisa e a integração entre a academia e a indústria, ponto destacado pelo professor Fábio do Prado durante o debate.

O reitor ressaltou que a FEI está atenta às demandas do mercado e engajada no caminho de formação para a Indústria 4.0, ao exemplificar a inauguração do Laboratório de Manufatura Digital (LMD), em 2016, em parceria com as empresas Siemens e SPI. O laboratório, instalado no campus da Instituição em São Bernardo do Campo, ganhou um prêmio internacional do projeto PACE da GM como melhor laboratório dentre 59 laboratórios participantes de 13 países.

Outro ponto que o reitor destacou como iniciativas desenvolvidas na Instituição visando essa evolução digital na indústria foi a Plataforma de Inovação, um projeto que tem entre os seus objetivos, explorar questões sobre as megatendências do futuro, seus cenários, e as soluções que a sociedades esperam apresentar para as demandas que surgirão em todas as áreas. “A FEI está se reinventando e repensando o que será a FEI em 2050. Os nossos esforços hoje são para criar na Instituição uma cultura de inovação com objetivo de atingir níveis ainda maiores na qualidade de nossa missão de educar, gerar e difundir conhecimento, por meio do fomento da criatividade, geração de ideias e protagonismo dos alunos em novas demandas como a Indústria 4.0, por exemplo”.

Professor Fábio do Prado palestrando em frente a uma plateia

Mas será que o que impede o crescimento dessa tecnologia no Brasil é somente investimento? Para os especialistas o país possui excelentes profissionais e pesquisadores, mas em quantidade insuficiente, pois, pela falta de oportunidade muitos desses profissionais acabam saindo do país para atuar no exterior, por isso a importância – segundo os especialistas – de investir cada vez mais nas fábricas de ideias que são as universidades e na integração da academia com a Indústria.

O reitor da FEI foi além ao ressaltar que a evolução precisa começar a surgir também nas salas de aula. “Hoje vivemos em constante mudança, e o tempo que passamos com os nossos alunos é pequeno e passa rápido, por isso precisamos extrair e aproveitar ao máximo as ideias que esses jovens possuem. A FEI tem se lançado nessa mudança de cultura, com o objetivo de tornar os nossos alunos protagonistas na sala de aula e no mercado. Queremos que os professores sejam os questionadores e os alunos os formadores das respostas. Que sejam proativos e solucionadores das questões e problemáticas que surgem hoje e surgirão em 2050”, concluiu o professor Fábio do Prado.

O evento, que ocorreu na sede da SPI, e além dos especialistas Dr. Carlos Sakuramoto (Engenheiro de Manufatura responsável por tecnologia e inovação na General Motors do Brasil), Prof. Dr. Fábio do Prado (Reitor da FEI), Dra. Lucimara d’ Avila (Sócia Diretora da Quantum4) e José Leandro Serrano (Diretor Regional de Vendas da Siemens), contou com a presença também de mais de 120 ouvintes das principais empresas do país.

Fonte: ABRUC

 

Copiar link Comentários ()
Quero receber conteúdos voltados para:

Entre em contato através do WhatsApp

Entre em contato através do Messenger