Nossos serviços
Entre em contato

Capitais e região metropolitana:
4007.2302

Demais cidades:
0800.002.2302

Whatsapp:
(51) 989.590.959


Av. Júlio de Castilhos, 44 - Térreo
Porto Alegre - RS - CEP 90030-130 | Como chegar

COPYRIGHT © 2019. Conheça nossa Política de Privacidade.

brivia

Opinião | 29 de novembro de 2017
[Artigo] Educação e igualdade: o Ensino Superior e as conquistas da mulher no mercado de trabalho
Quando aliamos educação a oportunidades em empresas e organizações dispostas a mudar o atual cenário, conseguimos reduzir - e muito - o grau da disparidade entre gêneros.
Copiar link
[Artigo] Educação e igualdade: o Ensino Superior e as conquistas da mulher no mercado de trabalho

O espaço da mulher no mercado de trabalho é um assunto amplamente debatido nos dias de hoje. Isso é um fato que todo mundo já sabe. O importante é refletirmos se, mesmo com todas as  discussões sobre o tema, as profissionais estão realmente conquistando o seu merecido lugar ao sol: junto com os homens, travando as mesmas batalhas diárias, competindo por cargos equivalentes e em total pé de igualdade.

Na Fundacred – Fundação com 45 anos de experiência no segmento de crédito educacional – a conquista do espaço feminino já é uma realidade. No elenco de colaboradores – com destaque para os cargos diretivos – a presença delas é notável: três entre os cinco gerentes são mulheres, duas entre os quatro supervisores também. No setor Comercial da Fundação, há quase uma unanimidade: dos sete consultores comerciais em atividade, seis são do sexo feminino.

Muitas dessas colaboradoras já buscaram, por meio do CredCORP – o Crédito Educacional Corporativo concedido pela Fundacred – além da qualificação profissional, a formação acadêmica. Como é o caso da Gerente de Operações Energita Cauduro, que utilizou o crédito a partir de 1995 para formar-se em Direito e, posteriormente, para sua pós-graduação em Processo Civil. Segundo ela, “o ambiente acadêmico, os desafios e a oportunidade do aprendizado constante, trazem, também, uma evolução pessoal, abrindo espaço ao autoconhecimento e a consequente realização plena”.

A história da força feminina na Fundação não é marcada somente pela quantia de profissionais contratadas (74, atualmente): o número de estudantes que utilizam o CredIES – Crédito Educacional concedido pela Fundacred –  demonstra um público feminino maior, já que a quantidade de beneficiárias é superior ao de beneficiários: 53.8% mulheres para 46.1% homens, seguindo uma tendência do segmento educacional no Brasil, que confirma uma maioria feminina cursando o ensino superior: considerando brasileiros de 18 a 24 anos de idade, 15% dos que frequentam o Ensino Superior são mulheres e 11% são homens, de acordo com o Censo 2010 (o último realizado).

Ainda que as mulheres estejam em maior número nas salas de aula das universidades brasileiras, dados do IBGE (2015) mostram que a desigualdade entre cargos e salários ainda existe: em 2015, o rendimento médio real mensal dos homens era de R$ 1.516,00, enquanto o das mulheres era R$ 943,00.

Voltemos então ao questionamento realizado no início deste texto: as mulheres estão conseguindo um espaço igualitário no mercado de trabalho? Infelizmente, os dados demonstram que ainda não. Porém, quando aliamos educação a oportunidades em empresas e organizações dispostas a mudar o atual cenário, conseguimos reduzir –  e muito – o grau da disparidade entre gêneros.

Por: Jéssica Corrêa

Quero receber conteúdos voltados para:

Entre em contato através do WhatsApp

Entre em contato através do Messenger