Nossos serviços
Entre em contato

Capitais e região metropolitana:
4007.2302

Demais cidades:
0800.002.2302

Whatsapp:
(51) 989.590.959


Av. Júlio de Castilhos, 44 - Térreo
Porto Alegre - RS - CEP 90030-130 | Como chegar

COPYRIGHT © 2018. Conheça nossa Política de Privacidade.

brivia

Ciep | 07 de dezembro de 2018
Mais Médicos – Cursos de medicina têm adequar estágio ao Mais Médicos
Cursos de medicina têm até dia 31 para adequar estágio ao Mais Médicos.
Copiar link
Mais Médicos – Cursos de medicina têm adequar estágio ao Mais Médicos

Internato agora deve ter 760 horas na atenção básica, mas mudança de cultura e falta de estrutura são desafios; G1 publica série de reportagens sobre o Mais Médicos nas salas de aula.

Os cursos de medicina no Brasil ainda não se adequaram às novas regras propostas pelo Programa Mais Médicos. O objetivo delas é formar profissionais mais preparados para a atenção básica em saúde, área afetada com a crise da saída dos médicos cubanos do Brasil. As mudanças curriculares foram aprovadas há quatro anos e precisam ser aplicadas em 332 cursos em atividade até 31 de dezembro deste ano.

Entretanto, especialistas ouvidos pelo G1 dizem que elas não saíram totalmente do papel por causa da burocracia, da resistência de professores e da falta de docentes qualificados na área. As novas diretrizes foram aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e homologadas pelo Ministério da Educação: uma das principais é obrigatoriedade do estágio de 760 horas na atenção básica de saúde.

Passados mais de cinco anos desde o anúncio do programa, o G1 analisa, em uma série de três reportagens desde o domingo (2), o impacto da iniciativa na formação de médicos no Brasil:

  • Parte 3: o impacto do Mais Médicos no internato.

Ideia inicial descartada

Em 2013, a ideia original do governo federal era ampliar de seis anos para oito anos a duração do curso. Os dois anos extras seriam destinados a um estágio obrigatório na atenção básica: em postos de saúde, e nos demais programas na área, como as visitas domiciliares. A medida, porém, teve repercussão negativa entre as faculdades e o MEC desistiu da proposta ainda em julho.

Com a promulgação da Lei do Mais Médicos, o Conselho Nacional de Educação (CNE) reformulou as diretrizes nacionais para os cursos de medicina.

Duas alterações importantes foram feitas:

Regras da graduação em medicina

O que mudou na carga horária de 6 anos do curso

Das 7.200 horas mínimas do curso, pelo menos 2.520 devem ser cumpridas no internato, sendo cerca de 760 na atenção básica.

Os demais 70% do internato, que somam aproximadamente 1.760 horas, são destinados ao estágio nas áreas de clínica médica, cirurgia, ginecologia-obstetrícia, pediatria, saúde coletiva e saúde mental, que também podem ser cumpridas no SUS. Não existe carga horária mínima para essas áreas, mas o estágio em cada uma não pode passar de 20% da carga horária total do internato.

Acesse a matéria na integra 

Fonte/Link: G1

Quero receber conteúdos voltados para:

Entre em contato através do WhatsApp

Entre em contato através do Messenger