Nossos serviços
Entre em contato

Capitais e região metropolitana:
4007.2302

Demais cidades:
0800.002.2302

Whatsapp:
4007.2302


Av. Júlio de Castilhos, 44 - Térreo
Porto Alegre - RS - CEP 90030-130 | Como chegar

COPYRIGHT © 2021. Conheça nossa Política de Privacidade.

brivia

Educação | 19 de julho de 2021
O ensino técnico e a recolocação profissional
Copiar link
O ensino técnico e a recolocação profissional

O País ultrapassou a marca de 14% de brasileiros desempregados no ano passado, sendo que 6% estão sem qualquer perspectiva de conseguir uma oportunidade profissional. Este contexto ainda se agravou no primeiro trimestre de 2021, impactando 14,8 milhões de brasileiros, a maior taxa e o maior contingente de desocupados já observados na série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 2012. Com isso, enquanto crescem a competitividade e as exigências nas vagas, o ensino técnico se apresenta como alternativa pertinente de qualificação.

A crise econômica atual preocupa os estudantes em geral, especialmente os que estão em busca de ingressar no mercado de trabalho e evoluir profissionalmente. Neste cenário de algumas incertezas, o curso técnico é uma opção interessante para quem busca aumentar as chances de realocação no mercado. Entre outros fatores, trata-se de uma capacitação com menor tempo de duração se comparada, por exemplo, ao ensino superior.

O ensino técnico tem o objetivo de capacitar os alunos em conhecimentos teóricos e práticos de diversas áreas do conhecimento. Está posicionado entre o ensino médio e superior, sendo uma alternativa interessante para quem deseja um acesso mais rápido ao mercado de trabalho. Em média, os cursos técnicos têm duração de apenas dois anos.

A escolha por este caminho também interfere diretamente nas finanças do estudante. Segundo pesquisa realizada pelo Senai, em 2017, um aluno formado em um curso técnico tem um acréscimo de 18% da sua renda, fazendo com que esta alternativa se torne interessante para conquistar a liberdade financeira. Outro ponto de destaque é que o investimento em um curso técnico também é menor. A diminuição dos custos é explicada pela carga horária reduzida, além de variar conforme as especializações oferecidas.

Já para os estudantes que não tem condições de arcar com as mensalidades dos cursos técnicos, uma boa opção é a busca por um financiamento. A partir de soluções de crédito educativo, a pessoa ganha mais tempo para realizar o pagamento da capacitação (e, comumente, sem juros remuneratórios). É o caso do CredTEC, por exemplo, disponibilizado pela Fundacred exclusivamente ao ensino técnico.

O desenvolvimento de conhecimentos em torno de práticas e ferramentas de cada área é decisivo para a conquista de vagas qualificadas, com salário e benefícios satisfatórios. Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e delicado, ainda imerso em instabilidade econômica, o ensino técnico pode ser a saída tanto para um profissional se firmar em um setor, quanto para fazer uma transição rápida de área.

FONTE: Assessoria Martha Becker

Quero receber conteúdos voltados para:

Entre em contato através do WhatsApp

Entre em contato através do Messenger