Nossos serviços
Entre em contato

Capitais e região metropolitana:
4007.2302

Demais cidades:
0800.002.2302

Whatsapp:
4007.2302


Av. Júlio de Castilhos, 44 - Térreo
Porto Alegre - RS - CEP 90030-130 | Como chegar

COPYRIGHT © 2021. Conheça nossa Política de Privacidade.

brivia

Educação | 21 de outubro de 2021
A importância do ensino técnico para o primeiro emprego
Copiar link
A importância do ensino técnico para o primeiro emprego

Em meio à crise econômica e ao alto índice de desemprego que o Brasil se encontra, o mercado de trabalho busca alternativas para voltar a crescer. Apesar de ainda tímida, existe hoje uma expectativa para a retomada da economia nesta reta final de 2021, já com alguns números confirmando o prognóstico positivo. Dados do Centro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) mostram que 1,4 milhão de empregos formais foram gerados desde agosto do ano passado. Nesse contexto de recente crescimento no número de vagas, ter uma especialização técnica ou mais capacitações é essencial para obter as melhores oportunidades.

Os cursos profissionalizantes – ou técnicos – têm uma grande importância para diversos jovens que desejam adquirir conhecimentos específicos para entrar no mercado de trabalho. É uma modalidade de ensino que apresenta ao estudante uma opção interessante para conseguir um estágio ou, até mesmo, o primeiro emprego. Isso ocorre devido à carência de profissionais técnicos, de tal modo que existem vagas para serem preenchidas por quem está cursando o ensino profissionalizante, disposto a assumir diferentes demandas de uma área específica.

Diferente da trajetória acadêmica no ensino superior, geralmente mais longa, a formação técnica representa uma possibilidade mais dinâmica – e também eficiente – para a inclusão de diferentes profissionais no mercado de trabalho. Os cursos neste nível costumam ser mais acessíveis financeiramente e curtos, tendo como vantagem competitiva a absorção da mão de obra em menor tempo.

Em relação ao mundo, o Brasil ainda tem muito a avançar na área, pois apenas 11% dos estudantes estão matriculados em cursos profissionalizantes, de acordo com os números do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Em países da União Europeia, essa proporção é superior a 50%. Nesse sentido, créditos educativos como o CredNEX, oferecido pela Fundacred, auxiliam o mercado e os estudantes, possibilitando um maior acesso de pessoas no ensino.

Com a alta empregabilidade e o custo baixo quando comparado com a graduação, o ensino técnico tem crescido e se propagado rapidamente. Além disso, o aumento da demanda por profissionais especializados fez com que áreas como tecnologia, saúde, logística, administração, vendas e comunicação procurassem não só graduados, mas também tecnólogos.

A escolha por ingressar em um curso superior ou técnico depende muito das expectativas profissionais de cada um. Se por um lado a graduação abre portas para cargos mais estratégicos e valorizados, também é verdade que exige mais anos de dedicação – um empecilho para quem tem pressa na recolocação no mercado. Já o ensino técnico permite uma ascensão mais imediata na carreira, mas recomenda-se a contínua busca por mais capacitações para se obter uma valorização salarial e vagas mais cobiçadas na sociedade no decorrer dos anos.

FONTE: Assessoria Martha Becker

Quero receber conteúdos voltados para:

Entre em contato através do WhatsApp

Entre em contato através do Messenger