Nossos serviços
Entre em contato

Capitais e região metropolitana:
4007.2302

Demais cidades:
0800.002.2302

Whatsapp:
4007.2302


Av. Júlio de Castilhos, 44 - Térreo
Porto Alegre - RS - CEP 90030-130
FUNDACAO DE CREDITO EDUCATIVO
CNPJ 88.926.381/0001-85 | Como chegar

COPYRIGHT © 2023. Conheça nossa Política de Privacidade.

brivia

Educação | 02 de dezembro de 2022
Cinco tendências em educação online para o agora
Copiar link
Cinco tendências em educação online para o agora

Ao longo do segundo semestre de 2022, o time de Inovação, Novos Produtos e Conteúdo da +A Educação realizou estudos com mais de 70 escolas não reguladas e instituições de ensino superior para avaliar ofertas de ensino online e identificar as principais tendências e dimensões de produto para áreas como direito, tecnologia, negócios e saúde. 

Nesses estudos, nos concentramos nas ofertas apresentadas pelas escolas e instituições, matérias publicadas nos seus sites e suas respectivas narrativas em redes sociais.

Leia também: O que um CEO lê? – Parte 1

O resultado nos permitiu mapear quais dimensões de produto têm potencial para entregar mais valor em cada área estudada, mas também apontou caminhos e tendências comuns às ofertas online que, segundo a avaliação, serão cada vez mais perceptíveis na educação num futuro muito próximo. 

Neste breve artigo, elencamos cinco dessas tendências transversais às diversas áreas do conhecimento estudadas. Não tratamos de tendências de uso de novas tecnologias ou plataformas pois, na lógica de construção de ofertas e propostas de valor, elas devem ser consideradas ferramentas, e não a base de produto.

As tendências identificadas no nosso estudo estão conectadas ao tipo de proposta de valor que uma oferta de educação online, regulada ou não regulada, deve considerar para ter sucesso. 

Prática, networking e feedback 

As práticas e trocas de experiências com profissionais de mercado, instrutores e colegas vêm se tornando, cada vez mais, uma fonte importante de entrega de valor, especialmente para profissionais em início de carreira ou para aqueles que ainda estão na etapa de decidir o seu futuro profissional. 

A possibilidade de receber feedbacks personalizados, relacionados à atuação em situações reais é, sem dúvida, um grande diferencial para ofertas educacionais.

O uso de projetos práticos (o que não é exatamente uma novidade) vem ganhando mais espaço, mas tende a evoluir de um componente paralelo ao currículo do curso para a condição de fio condutor de disciplinas ou programas teóricos. 

Outra tendência é a aplicação de desafios reais de empresas parceiras das escolas e instituições. Nesse tipo de desafio, as soluções criadas pelos alunos ao longo do processo de aprendizagem têm potencial para serem implementadas por essas empresas, o que aumenta a exposição dos alunos a decisores do mercado de seu interesse e permite que esses estudantes criem seus próprios portfólios ao longo do curso. 

O uso de programas e ferramentas que são encontrados no ambiente de negócios também vem ganhando espaço como um diferencial na educação online. Nesse ponto, as escolas de tecnologia estão na frente, com o uso intensivo de plataformas como Discord, Github, Slack entre outras. 

Community First 

Muito além dos fóruns de discussão dos ambientes virtuais de aprendizagem, a criação de comunidades em torno de experiências de aprendizagem vem ganhando força e forma, especialmente quando conectadas a ofertas com um propósito claro e governança dedicada, com constância, intensidade e entrega de valor. 

Já é possível identificar iniciativas de escolas que destacam a existência de comunidades de alunos e instrutores que complementam as ofertas dos cursos. Algumas transformam a comunidade em atributo importante do produto, possibilitando experiências de aprendizagem únicas e exclusivas.

Nas que têm mais sucesso, é possível notar que a comunidade se torna algo maior que o próprio curso: se transforma em um ambiente onde os membros constroem uma forte rede de relacionamentos, encontram e criam espaço para apresentar sua evolução e compartilham todo tipo de oportunidade.  

As comunidades têm uma função ainda mais importante para os cursos que não contam com componentes síncronos. Nesses espaços, as escolas organizam suas camadas de experiência e networking, promovendo workshops, sessões de mentoria coletiva, divulgação de vagas, sessões de benchmark entre os membros, além de encontros presenciais.

Outros recursos comuns nessa dimensão são sessões de acompanhamento individual e a promoção de ciclos de palestras sobre tendências de mercado de cada área específica. 

Além da função de potencializar o engajamento dos alunos, quando bem operacionalizadas e conectadas com a proposta de valor de uma oferta, as comunidades podem ganhar um papel relevante na estratégia de negócios da escola ou instituição, pois têm a capacidade de se tornarem espaços excelentes para testar novas ofertas, criar diversas modalidades de upsell e nutrir uma base de futuros alunos já engajados com a marca. 

O online migra para o presencial 

Este é um movimento, de certa forma, contraintuitivo. Já há algum tempo temos testemunhado a migração de ofertas presenciais para a educação a distância (EaD).

Seja com soluções planejadas para a EaD, seja pela migração para um formato que se tornou muito comum durante a pandemia – o ensino remoto. 

No entanto, fazendo um recorte de ofertas educacionais nativas digitais, tanto em escolas não reguladas, mas também em algumas ofertas reguladas mais sofisticadas e com ticket mais elevado, percebe-se um movimento contrário: a criação de complementos presenciais ou de imersões mais intensas para potencializar a entrega de valor de um curso ou programa. 

A combinação de etapas online, síncronas e assíncronas, com imersões práticas presenciais é uma tendência nas ofertas avaliadas, nas quais os componentes online não têm papel de curso de acesso e barato.

Às imersões online ou presenciais são reservadas entregas de valor muito potentes, como manipulação supervisionada de equipamentos, contato com pacientes ou clientes, encontro com professores, profissionais de mercado e influenciadores, com possibilidade de interação direta com eles, além de programas de mentoria individual ou em grupo. 

Interação de valor com autores e professores renomados 

A reboque da tendência anterior, muitas iniciativas educacionais destacam a importância e as realizações do corpo docente, autores, especialistas de mercado, influenciadores e professores convidados.

Percebe-se também a inclusão de momentos de troca com esses educadores renomados como parte da proposta de valor dessas ofertas, seja por meio de encontros presenciais ou online nos quais é possível a interação ao vivo, ou ainda mentorias mais exclusivas. 

Para fortalecer a proposta de valor, a oferta deve procurar intensificar a participação ativa dos principais professores (da casa ou convidados) no produto, tornando concreta a promessa de que o aluno vai estudar com o melhor corpo docente. Para isso, criam momentos de contato e troca entre professores e estudantes, muito além de oferecer apenas vídeos e palestras gravadas sem interação. 

Ainda segundo os estudos, o papel e o perfil desses professores diferenciados variam de acordo com a área do conhecimento do curso em questão. Alunos da área de Tecnologia, por exemplo, tendem a valorizar mais a participação de profissionais bem posicionados em um perfil específico de empresas: as bigtechs, unicórnios ou candidatas a unicórnios – ou ainda empresas tradicionais que reconhecidamente lidam bem com a transformação digital. Enquanto isso, alunos do Direito tendem a valorizar professores de instituições de ensino com tradição na área jurídica. 

Alta entrega de valor em ofertas gratuitas 

Como parte da estratégia de Escada de Produto, ofertas de cursos online gratuitos de curta duração, assíncronos ou síncronos, exploram temas hype do momento ou de reconhecida relevância do setor no qual atua a escola.

Essas ofertas se destacam pela qualidade da entrega e experiência, evidenciadas por provas sociais expostas nas páginas de produto e em suas redes sociais, muitas vezes de forma espontânea. 

Normalmente, essa estratégia de cursos de curta duração está integrada a uma estratégia maior de portfólio, no qual combinações de cursos menores ou de momentos síncronos/imersivos alavancam a proposta de valor e mudam a categoria da oferta. 

Ofertas gratuitas na educação online não são uma novidade. A chave dessa tendência está justamente na capacidade de entregar valor real para o público.   

Leia também: Mais livros de um CEO para você

Tendências convergentes na entrega de valor 

Nos diversos estudos que serviram de base para esse artigo foram avaliadas escolas e instituições referências em suas áreas. Mesmo não sendo a maioria das ofertas, são aquelas que têm maior potencial de influenciar o mercado como um todo. 

A análise mostra que as cinco tendências normalmente não se apresentam de forma isolada. Desdobradas para atender alunos com características e necessidades diferentes em cada área, ou momento de vida, essas tendências podem potencializar a sua entrega de valor quando combinadas. 

O cliente no centro 

Garantir que os alunos terão uma experiência memorável e dar a eles a segurança de que serão capazes de acompanhar o curso e alcançar seus objetivos passa a ter um peso muito importante na concepção do produto e na apresentação da maioria das ofertas avaliadas.

Esta é, certamente, uma das conclusões mais importantes desses levantamentos: a percepção de que o conceito de “cliente no centro” está ganhando espaço na educação online. Visivelmente, as cinco tendências elencadas aqui são fruto desse esforço. 

Fonte: Desafios da Educação

Quero receber conteúdos voltados para:

Entre em contato através do WhatsApp

Entre em contato através do Messenger